Bem-vindo à página da Academia Portuguesa de Psico-Oncologia, uma organização científica e multidisciplinar que representa profissionais de diferentes áreas que prestam apoio psicossocial ao doente oncológico.

É habitual a doença oncológica estar associada a grande sofrimento emocional que pode interferir com a capacidade de lidar eficazmente com as exigências da doença e dos tratamentos. Este sofrimento desenvolve-se ao longo de um continuum, desde os sentimentos normais de vulnerabilidade, tristeza e medo, até problemas incapacitantes como a depressão, perturbações de ansiedade, isolamento social e crises existenciais e espirituais.

Os sintomas depressivos e ansiosos podem resultar num agravamento da dor o que, por sua vez se reflecte negativamente no funcionamento físico e social e na severidade dos efeitos secundários dos tratamentos oncológicos. A morbilidade psicológica e psiquiátrica está, também, associada a maior utilização dos serviços médicos, internamentos mais longos e custos económicos mais elevados. Pensa-se, ainda, que esta morbilidade, não tratada, pode afectar a evolução da doença e a sobrevida.

A Psico-Oncologia é uma área do saber recente que resulta da confluência da Psiquiatria de Ligação, da Psicologia da Saúde e da Medicina Oncológica. Tem como objectivo a identificação, estudo e orientação dos problemas psicossociais e sofrimento psicológico do doente, da sua família e dos profissionais de saúde.

Neste contexto, em 1999, um grupo de profissionais do Instituto Português de Oncologia Francisco Gentil fundou a Academia Portuguesa de Psico-Oncologia, com o propósito de desenvolver e promover a Psico-Oncologia no nosso país.

Ao longo destes anos, a Academia Portuguesa de Psico-Oncologia organizou congressos anuais que se têm sido espaço privilegiado de diálogo para os profissionais envolvidos no apoio ao doente oncológico, estimulando a melhoria das práticas nesta área de actuação.

A Academia Portuguesa de Psico-Oncologia promoveu, também, vários cursos intensivos de Psico-Oncologia orientados por personalidades internacionais de reconhecido mérito na área, que muito têm contribuído para a formação específica de centenas de profissionais.

Os actuais corpos gerentes da Academia Portuguesa de Psico-Oncologia estão empenhados em dar continuidade ao trabalho realizado, projectando no futuro a nossa intenção de colaborar activamente na melhoria dos cuidados prestados e na qualidade de vida do doente oncológico.

 


Se é profissional de saúde, trabalha ou tem interesse em oncologia, junte-se a nós!